Destaque, Indústria

Indústria aérea no Brasil assina acordo de cooperação

Foto: Paulo Martinez

Na cidade de Fortaleza, o Ministério de Transporte, Portos e Aviação Civil do Brasil; a Agência Nacional de Aviação Civil do Brasil, ALTA, IATA e ABEAR assinaram um Memorando de Entendimento (MoU) com o objetivo de criar uma estrutura institucional de cooperação para desenvolver a indústria aérea do Brasil.

Como parte deste acordo, as partes se comprometem a aportar seus conhecimentos e recursos às atividades de interesse comum nas áreas de: segurança operacional; análise de dados; previsão de preços dos combustíveis e carga tributária; monitoramento, relatório e verificação das emissões de gases de efeito estufa da aviação e formação, entre outros.

Luis Felipe de Oliveira, Diretor Executivo da ALTA, comenta: “O Brasil é o quinto país mais extenso do mundo e o maior da América Latina. Neste sentido, um transporte aéreo seguro e eficiente é a chave para manter o país conectado e estimular a economia. Este acordo sem dúvida será uma contribuição muito grande à aviação no Brasil, pois definirá o ponto de referência do trabalho propício entre o governo e as associações para melhorar a competitividade e a conectividade do Brasil em benefício das populações servidas pelo transporte aéreo”.

José Ricardo Botelho, Diretor Presidente da Agência Nacional de Aviação Civil do Brasil, comenta: “O Brasil está jogando um papel crucial no desenvolvimento da aviação na região da América Latina e do Caribe. Somos o maior mercado doméstico da América Latina e acreditamos que podemos dirigir o crescimento da região através da cooperação mútua e contínua”.

“Este memorando de entendimento é uma oportunidade bem vinda para melhorar a relacionamento e o trabalho já em andamento entre estes atores individuais. Afirma a importância que tem a aviação para melhorar o bem estar econômico e social do Brasil. A IATA se orgulha de fazer parte e apoiar este esforço”, comenta Peter Cerda, Vice presidente Regional da IATA.

“O Brasil tem um grande potencial de crescimento, já que a média dos voos é de 0,54 viagens por habitante. O país pode oferecer aos seus habitantes um meio de transporte seguro e eficiente e, ao mesmo tempo, impulsionar o crescimento econômico do país, gerando investimentos, ofertas de trabalho, turismo e mais viagens. Como parte deste acordo, o Brasil será sede, em 2019, do mais importante evento da aviação comercial na América Latina e no Caribe: a ALTA Airline Leaders Forun e isso reafirma a importância do Brasil para a indústria aérea.”, acrescentou de Oliveira.