Airlines, Destaque

Alitalia aprova plano de Negócios 2017-2021

O Conselho de Administração da Alitalia aprovou ontem o plano de negócios da empresa, que inclui uma série de medidas radicais e necessárias para estabilizá-la e garantir sua sustentabilidade em longo prazo.

A administração da companhia aérea apresentará, em breve, ao governo italiano o plano aprovado pela Diretoria e, em seguida, se reunirá com os sindicatos para explicar os detalhes do plano de negócios, as medidas relacionadas ao número de funcionários e retomar as negociações sobre um novo acordo coletivo de trabalho.

A Alitalia afirmou que vai reduzir os custos em € 1 bilhão nos primeiros três anos do plano até 2019, com reduções nos custos operacionais e de mão-de-obra. A Alitalia aumentará as receitas, no mesmo período até 2019 em 30%, de 2,9 mil milhões de euros para 3,7 mil milhões de euros.

Estes indicadores de desempenho financeiro são considerados realistas e alcançáveis ​​por conselheiros independentes e os números projetados transformariam a Alitalia em uma empresa rentável até 2019.

As ações do plano de atividades são apoiadas por «quatro pilares da mudança»; Um modelo de negócio recalibrado, reduções de custos e aumento da produtividade, otimização da rede e parcerias e desenvolvimento de iniciativas comerciais utilizando investimentos em tecnologia para impulsionar a receita.

Cramer Ball, CEO da Alitalia, afirmou: “Com a aprovação pelo Conselho de Administração da segunda fase do nosso plano de negócios, podemos agora acelerar as nossas ações no sentido de transformar a Alitalia. Reconstruímos nossa marca na primeira fase e investimos fortemente em treinamento e tecnologia para que agora possamos avançar e implementar mudanças abrangentes.

A indústria da aviação é ferozmente competitiva e nunca fica parada. Somente através de uma mudança radical o destino da Alitalia será transformado. Nós devemos transformar o modelo de negócio em uma empresa dinâmica que seja atrativa aos clientes, que possuem poder de escolha em suas necessidades de viagens. Os hábitos de compra dos consumidores foram moldados pela forma como as transportadoras de baixo custo vendem seus produtos. Estou confiante de que a próxima fase do plano industrial representará o passo em frente necessário, desde que todas as partes interessadas desempenhem o seu papel.

As medidas radicais e necessárias em toda a companhia aérea assegurarão nossa sustentabilidade a longo prazo, que só se materializará se a companhia tiver o tamanho certo, a forma certa e com a produtividade e a base de custos adequadas.

Devemos fazer isso, especialmente em nossos serviços de curto e médio curso, a fim de fornecer uma plataforma de crescimento de negócio de longo prazo e rentável no futuro.

Este é um aspecto crítico porque a maioria dos nossos clientes voa em nossos aviões de médio e curto alcance para se conectar aos nossos serviços de longo curso.

Se não pudermos competir em toda a Itália e na Europa contra companhias aéreas de baixo custo, perderemos os viajantes aéreos que se conectam aos voos intercontinentais. Simplificando, não há absolutamente nenhuma alternativa.”