Aeroportos

Carnaval deve aumentar o número de passageiros nos aeroportos da Infraero

Neste carnaval, os 46 aeroportos administrados pela Infraero e que operam voos comerciais regulares deverão ter 1,45 milhão de passageiros circulando entre os dias 1º e 7/3. Essa estimativa é 1% maior que o movimento registrado em 2018, quando 1,43 milhão de viajantes utilizaram os terminais da empresa entre os dias 9 e 15/2/18. A estimativa leva em conta a oferta de assentos das empresas aéreas e considera os períodos de sexta a quinta-feira.

Para assegurar o melhor atendimento, com conforto, segurança e fluidez, a Infraero vai reforçar as atividades operacionais, de atendimento direto ao público e de manutenção e limpeza. Os passageiros também poderão contar com a ajuda dos “amarelinhos” – funcionários identificados pelo colete amarelo com a frase “Posso Ajudar/May I Help You?”, presentes nos saguões e áreas públicas dos terminais, além dos balcões de informação. Mais dicas podem ser obtidas também na versão online do Guia do Passageiro.

Aeronaves
O número de aeronaves nos aeroportos da Infraero deve ser menor no carnaval deste ano. Entre os dias 1º e 7/3 são esperados 12,14 mil pousos e decolagens, uma queda de 4%, em relação ao carnaval de 2018, quando 12,61 mil aeronaves chegaram e partiram dos terminais.

Apesar das tendências opostas entre passageiros e aeronaves, as projeções sinalizam que a ocupação dos voos deverá ser maior. “De qualquer forma, a Infraero está pronta para atender a todos os seus clientes, sejam viajantes ou companhias aéreas”, afirma o superintendente de Gestão da Operação, Marçal Goulart.

Coordenação
As operações nos aeroportos de Congonhas, Santos Dumont e Recife serão coordenadas pelos Centros de Gerenciamento Aeroportuário (CGA) localizados nestes terminais. Essas unidades da Infraero vão monitorar, em tempo real, o funcionamento das instalações, além de definir soluções que sejam necessárias para melhorar o atendimento nestes terminais para passageiros e aeronaves nas 24 horas do dia.

O CGA é composto por representantes da Infraero, Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Polícia Federal, Receita Federal, Vigilância Sanitária, Vigilância Agropecuária e companhias aéreas, que atuam de maneira compartilhada. “A reunião desses agentes permite à Infraero detectar as necessidades específicas de cada terminal com antecedência, garantindo a melhor atuação nas operações”, explica o superintendente de Gestão da Operação, Marçal Goulart.

Nos demais aeroportos da Infraero, a coordenação é feita pelo Núcleo de Acompanhamento e Gestão Operacional (Nago). Localizado em Brasília, ele monitora todos os terminais da empresa e alinha ações para assegurar que todos os públicos possam ter a melhor experiência na origem e destino da viagem.